Composição do frete marítimo, taxas e sobretaxas

Gostaria de escrever com frequência temas relacionados a comércio exterior e relações internacionais, mas o pouco tempo me impede de escrever sobre assuntos diversos e publicar algumas curiosidades sobre comex e RI.  Só me resta então agradecer a visita dos nossos clientes, amigos, parceiros, estudantes e estagiários de comércio exterior que estão acessando o blog. Prometo dedicar mais tempo a este blog e publicar textos relacionados a área. Vamos lá!

Conforme havia prometido no tópico anterior vou escrever sobre  tarifas de frete, taxas e sobretaxas da modalidade marítimo.

A composição do preço do frete marítimo leva em conta uma série de fatores considerados pelo agente ou armador até que chegue ao exportador ou importador. O que pretendo aqui é analisar a composição do preço do frete marítimo (junto c/ as taxas e sobretaxas) e abordar cada fator que incide no preço.

Frete básico (freight basic): a composição do frete básico é simples, prevalece sempre o fator que incide na maior receita para o armador ou agente. Peso ou volume da mercadoria, e características da mercadoria são analisadas para ser realizada a cobrança. Exemplo: Um cubo de metal mede 2m3, entretanto este mesmo cubo pesa 4000 kg, portanto a composição do frete será a partir do peso, pois o que gera maior receita para o armador é o fator peso.

Existem várias taxas e sobretaxas acrescidas ao frete através de um percentual aplicado destinado a cobrir determinados custos ou com justificativas diversas para aplicação da cobrança, exemplo:

1 – Bunker Surcharge (sobretaxa de combustível): também é conhecida como BAF – Bunker Additional Fuel. É a taxa aplicada em percentual sobre o frete básico para cobrir custos de combustível durante a viagem.

2 – Heavy Lift Charge (taxa para volumes pesados): geralmente esta taxa é cobrada para mercadorias que possuem excesso de peso, ou produtos com peso especial excedido a regra normal que necessitam de condições especiais (equipamentos de manuseio ou mão-de-obra especializada). É cobrada para embarque, desembarque ou arrumação da mercadoria no navio. O Heavy Lift é cobrado progressivamente, e costuma ser aplicado a volumes cujo peso bruto seja superior a 5.000 ou equivalente a 5 toneladas.

3 – Extra Lenght Charge (taxa para volumes de grandes dimensões): é o contrário do Heavy Lift, pois todo volume cujo comprimento for superior a 12 metros pagará esta taxa, independente do seu peso.

4 – Currency Adjustment Factor (fator de ajuste cambial): esta taxa também é conhecida como FAC. É o fator de correção monetária aplicada a soma do frete básico mais o Bunker, Heavy Lift e se tiver Extra Lenght.

5 – Minimum Freight (taxa mínima): é a menor taxa necessária para cobrir certos custos. Aplica-se quando o volume é inferior a 1/2 ton (500 quilos) ou 1/2 m3.

6 – Open Rate (taxa aberta): é uma taxa admitida em algumas conferências para permitir aos armadores ofertarem preços e concorrerem com os navios tramps ou outsiders.

7 – Temporary Rate (taxa temporária): sua finalidade é uma só, atender determinadas condições de tráfego de abertura de mercados, forçando uma competição entre tramps ou outsiders, estabelecendo bases reduzidas de frete em relação aos preços normais e com aplicação restrita a determinado período de tempo.

8 – Special Rate (taxa especial): é fixada pela mesma razão ou condição dos valores oferecidos pela Temporary Rate.

9 – Lumpsum Rate (taxa de frete por atacado): é uma taxa fixada para o embarque de mercadorias como um todo e negociada entre as partes (armador/agente/cliente).

10 – Through Rate (taxa de prosseguimento): também conhecida como On Carrying Rate ou Through Bill of Lading. É uma taxa cobrada pelo armador para o prosseguimento da carga por via marítima ou terrestre até o destino final, incluindo o custo do transbordo entre os dois transportadores.

11 – Ad Valorem Rate: é uma taxa cobrada (percentual) sobre a composição do frete exclusivamente para mercadorias de alto valor agregado.

12 – Minor Port Additional (adicional de porto): essa taxa é cobrada quando a mercadoria é embarcada ou desembarcada em porto secundário ou fora da rota.

13 – Congestion Surcharge (sobretaxa por congestionamento): trata-se de um percentual definido pela conferência de frete e aplicado sobre o frete básico quando nos portos onde existe grande movimentação ocorre uma frequente demora para atracação.

Abordei alguns fatores simples de composição do preço de um frete  marítimo. Existem taxas e sobretaxas diversas cobradas em cada operação como a “Not Otherwise Specified” que tecnicamente são tarifas aplicadas ao frete não especificado, ou seja, aquele valor aplicado a mercadorias que não constam das tarifas acordadas na Conferência. É um tema muito discutido na área de transportes marítimos pelo abuso direto dos conferentes.

Existem taxas e sobretaxas que devem ser aplicadas para cada tipo produto. A influência de fatores incidentes no preço do frete básico só pode ser calculado conforme o produto, tipo de operação, destino/origem, dimensão, peso entre outros fatores de análise da composição do frete. No texto anterior escrevi sobre uma nova taxa que a MSC informava aos operadores sobre sua cobrança a partir da data definida. Não que seja compulsória e coercitiva; somente compulsória (risos).

Você que deseja contratar transporte marítimo (LCL/FCL) consulte nossos preços e destinos. Estou certo que podemos atendê-lo em seis continentes oferecendo segurança, tranquilidade e economia para sua empresa.

Espero que este tópico tenha sido útil e que o conhecimento gratuito seja de fácil acesso a todos.

Um forte abraço, até a próxima!

About these ads

9 respostas para Composição do frete marítimo, taxas e sobretaxas

  1. Gostei bastante do tema abordado.
    É de grande ajuda para todos os que diariamente usam frete maritimo, ou estão comessando a usar.

  2. Lina Cunha disse:

    Amei o que vc escreveu sobre frete marítimo, muito legal, será que vc poderia me mandar mais assuntos sobre frete marítimo, pois vai ser o tema do meu TCC, obrigada

  3. Miqueas Pinto disse:

    ok muito bom

  4. Weberton disse:

    Oi. Adorei a postagem, porém tenho algumas dúvidas a respeito de outras taxas. Andei pedindo cotações de fretes marítimos e me passaram informações a respeito das seguintes taxas:

    *Bunker (foi citado no POST)
    *ISPS (não vi nenhuma citação, eu acho)
    *Locals Both ends (também não vi nada a respeito)

    Alguém poderia me informar a respeito de tais taxas?

    Obrigado.

    • Olá Weberton. Vamos lá, existem muitas taxas cobradas, em alguns casos são sobretaxas. A taxa Bunker também conhecida como BAF (bunker adjustment factor) que também é conhecida como Bunker Surcharge é uma sobretaxa aplicada pelo armador em cima do frete para cobrir o custo do combustível. A taxa ISPS é uma taxa cobrada pelos terminais de contêineres para se ressarcirem dos investimentos em segurança feitos por causa do ISPS Code. Sobre os códigos ISPS você poderá obter maiores informações e se deleitar no próprio site da IMO (http://gisis.imo.org/Public/Default.aspx). Agora sobre a taxa informada Locals Both Ends, nunca havia visto essa taxa, mas acredito que seja uma taxa cobrada por discrepância, do ponto final ao ponto original. Se alguém já cotou algum frete que foi cobrado a última taxa citada pelo nosso querido amigo Weberton, por favor, colabore conosco, o Weberton está prometendo uma rodada de chopp para quem exprimir com precisão tal taxa, rs.

  5. Di disse:

    Olá, estou fazendo um trabalho para a faculdade e o professor pediu para que fossem definidas algumas sobre taxas de frete marítimo, porém, as siglas que ele nos passou não fecham com nenhuma das taxas citadas acima…sejá que alguém pode me ajudar ou me informar onde encontro as seguintes sobre taxas:

    DPS
    CPS
    WRS
    PSS
    DOC FREE
    E FAF

    Obrigada!

  6. Neide disse:

    Olá, gostaria de um esclarecimento sobre a taxa do bunker: normalmente é um percentual? as cias maritimas abrem estes valores para os clientes? Sou da área de comex há muitos anos e há 7 não estou envolvida com o operacional e sei que muitas coisas mudaram. Por exemplo: é possível o bunker ser maior que o frete básico? é possível o armador mudar o nome das taxas para se proteger e ganhar mais? Desde já agradeço, Neide

  7. andre reis disse:

    Estou em negociacao entre duas empresas (uma brasileira a 300 km de santos e outra italiana proxima a Pisa – a distancia entre Santos e Pisa e de cerca de 9,5 mil km)
    Trata-se de uma exportacao mensal de 2 milhoes de litros de oleo de origem vegetal.
    O contrato sera de longo prazo, podendo atingir 20 anos.
    Gostaria de ter uma ideia dos custos de frete/seguro … estou montando o business plan … a parte que me falta esta relacionada aos custos de frete e seguro, além das despesas portuarias, despachante e agente.
    Tudo isso e novo para mim se vc puder ajudar a esclarecer e dar uma estimativa grosseira ajudaria muito
    obrigado

  8. Santiago disse:

    Boa Noite pessoal preciso fazer uma trabalho pra faculdade , ja revirei a net, mais não achei nada que podesse resolver o meu problema. é o seguinte: preciso calcular os custos da logistica internacional, tais como ( frete internacional, seguro internacional, tarifas portuarias, impostos, frete nacional, despachante, despesas alfandegarias.

    se alguem ai conheça do assunto de uma força ai, estou que nem cego em tiroteio, nem sei pra que rumo ir..

    favor mandar pro meu email . bizuca13@hotmail.com

    desde ja agradeço , obrigado pela atenção.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: